Quarta, 18 Julho 2018

crisemundial

Recentemente, fomos surpreendidos pela prisão dos amigos do presidente da República do Brasil, Michel Temer, onde vários elementos próximos a ele foram vinculados à corrupção relacionada ao Porto de Santos. Aí surge a dúvida do que está acontecendo porque até agora não se trata mais de ataques contra Lula somente. Temos um ataque frontal contra o presidente Michel Temer. O que isso significa? Qual é a política que está por trás?

Em primeiro lugar, para entender o problema, precisa contextualizar o desenvolvimento da crise mundial e a situação do imperialismo, principalmente do norte-americano que é quem domina o Brasil. Precisa ser dito que não se trata apenas de um problema do Brasil.

Esse problema se repete em toda a América Latina. Isso pode ser visto recentemente nos acontecimentos no Peru. Por que um elemento muito ligado ao imperialismo, como o é Pedro Paulo Kuczynski, que era o presidente do Peru e que tinha sido o homem forte da economia em vários governos, se viu obrigado a renunciar em cima de uma pressão que segue a mesma política da campanha contra a corrupção? O que isso tem a ver com o Brasil? Qual é o problema relacionado na Argentina, por exemplo, onde temos uma situação vivenciada por Maurício Macri, que é parecida? O que acontece com o próprio Donald Trump? O que acontece no mundo?

A crise capitalista por trás da crise política

O aprofundamento da crise capitalista mundial está chegando a níveis cada vez mais difíceis de serem controlados. As empresas enfrentam enormes dificuldades para extrair lucros da produção e os grandes capitalistas, o grande capital, as 148 famílias que dominam o mundo, precisam conter a queda da taxa de lucros. A revista The Economist, que funciona como um observatório do imperialismo mundial, na edição do dia 28 de janeiro de 2017, publicou uma matéria onde dizia que a queda da taxa de lucros nos últimos cinco anos, até janeiro daquele ano, tinha sido de 25%. Aí está o centro do problema, a verdadeira problemática de toda essa política que visa salvar os lucros do grande capital, do aprofundamento da crise mundial.

Para salvar os lucros dos monopólios, o imperialismo é obrigado a atacar de frente os direitos dos trabalhadores porque não consegue mais extrair lucros da produção. Por isso há a queda na retirada de direitos dos trabalhadores que foram concedidos com o objetivo de manter as massas pacificadas. Esse foi um processo que aparece claramente após a Segunda Guerra Mundial com a concessão de direitos trabalhistas, e que tinha começado como uma forma de contenção do desenvolvimento das tendências revolucionárias após a Revolução Russa de Outubro de 1917. No Brasil, os direitos trabalhistas foram cedidos por Getúlio Vargas em pleno Estado Novo, que foi de 1938 a 1945, com o objetivo de, justamente, controlar os trabalhadores e não porque o grande capital queira dar alguma coisa. O grande capital não dá nada. O grande capital é regido pelas leis do capital conforme Karl Marx descreveu e detalhou profundamente no célebre livro O Capital. Conforme a crise vai se acentuando e é preciso estabilizar a queda da taxa de lucros, eles necessitam atacar em cheio os trabalhadores para obter recursos e estabilizar esse problema.

A crise acelera no Brasil

No último período, o governo Michel Temer entrou em enorme crise. Não está conseguindo avançar violentamente  com a intensidade que o capital exige para esses ataques. Houve um certo avanço, sob o ponto de vista do grande capital, com a  aprovação da PLS 257, em setembro de 2016, e da PEC 55, em outubro de 2016, que estabeleceram tetos para os gastos sociais e a abertura total para a especulação financeira. Ou seja, o repasse de recursos para os grandes especuladores, sem que houvesse nenhuma reação da Frente Popular, encabeçada pelo PT, emaranhada até às últimas consequências em manter os "carguinhos" e os privilégios totalmente atrelados ao estado capitalista.

Michel Temer ficou numa espécie de círculo do qual não consegue sair porque não consegue avançar nos ataques contra os trabalhadores. Por exemplo, a reforma trabalhista, sob o ponto de vista do capital, estabeleceu grandes ataques, mas não conseguiu retirar todos os direitos que o imperialismo impõe, mesmo que esteja nessa direção. O imperialismo quer retirar os direitos do descanso semanal remunerado, do 13º, das férias, os direitos da Seguridade Social, da aposentadoria. Temer não está conseguindo aplicar essa política.

A Previdência Social representa, de acordo com as estatísticas oficiais, metade do Orçamento Público Federal, US$ 598 bilhões de um total, US$ 1,3  trilhão. Obviamente, há ainda mais de US$ 1 trilhão relacionado com o dinheiro que é repassado diretamente para os especuladores, por meio da hiper corrupta e nunca auditada dívida pública, e que não é contabilizado.
 

A crise generalizada do regime político

Como conseguir aprofundar os ataques? O governo Temer não tem a mínima condição de aplicar essa política e, por esse motivo, ele está sendo atacado. Um novo governo de Lula também não tem a mínima condição porque a política dos governos de frente popular é cara para o grande capital, pois para manter as massas pacificadas compra centenas de milhares de sindicalistas, dirigentes dos movimentos sociais, incentiva as empresas nacionais a se desenvolverem mesmo pegando uma pequena fatia do mercado mundial. O imperialismo não tem muito mais folga para isso.

O imperialismo precisa de um governo que venha com mão de ferro, que ataque os trabalhadores, retire os direitos trabalhistas pela raiz, que acabe com a Previdência Social, que entregue de vez as empresas nacionais aos monopólios, como aconteceu com a Odebrecht, com a Embraer e outras várias empresas nacionais. Que acabe com o programa de defesa nacional. Que acabe com a influência do Brasil em Cuba, com as relações com o Irã, com a Rússia, com a China. Com a influência das empresas brasileiras na África.

A política de Lula se tornou insustentável e a de Temer também porque não conseguem atacar em cheio os direitos dos trabalhadores. A tese principal é que a crise econômica gera a crise política e essa, devido à insustentabilidade econômica, acaba gerando todo esse caos, a fraqueza do regime político. Isso significa que o imperialismo encontra enormes dificuldades para viabilizar um candidato que, por meio de eleições, consiga estabilizar o regime político.

Qual é nesse momento a grande prioridade do imperialismo?

Em primeiro lugar controlar as eleições previstas para este ano. Como o imperialismo não o está conseguindo apela para manobras. Temer até chegou ao ponto de querer se apresentar como candidato à reeleição, em certa medida contra os interesses do imperialismo. Por esse motivo, ele está sendo atacado, obviamente por aquela extrema direita a mando do próprio imperialismo.  Além disso, se Temer cair, existe a possibilidade de que as eleições não aconteçam em outubro o que seria uma saída interessante ao imperialismo porque criaria uma situação intermediária, encabeçada pelo presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia. Haveria um ganho de tempo para avançar na direção de um regime aonde o imperialismo possa dar melhor as cartas, para um regime de cunho bonapartista pela via extraparlamentar, da mão dos militares.

Sob o ponto de vista do imperialismo, a situação política é um caos. Não consegue viabilizar os ataques contra os trabalhadores por meio do governo Temer. Não consegue viabilizá-los por meio de Ciro Gomes. Não consegue impor Bolsonaro que é um elemento que está bastante desmoralizado, que tenderia a se desmoralizar rapidamente. Tem muita dificuldade para emplacar Luciano Huck porque sobre ele pesam denúncias dentro da campanha contra a corrupção que são bastante graves como, por exemplo, o fato de ter usado recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) para a compra de um avião próprio, além do fato dele ser um elemento muito vinculado à Rede Globo. Também há dificuldade para viabilizar a candidatura de Henrique Meireles, o ex Ministro da Fazenda, que era o presidente do Conselho da JBS, considerando que os principais elementos da JBS estão na prisão, hoje.

A impossibilidade de viabilizar por vias normais um elemento da direita tradicional que consiga dar um passo além no rumo da imposição de fortes ataques, cada vez mais, deixa o imperialismo de mãos atadas e com a necessidade de avançar rumo a um governo bonapartista, uma ditadura policial burocrática onde os militares teriam um papel de primeira ordem. Parte da esquerda diz, "mas quem colocou os militares no Rio de Janeiro foi Temer". Ele fez isso porque se não o tivesse feito teria caído imediatamente perante a impossibilidade de aprovar a Reforma da Previdência. É um fato, mas o problema que devemos encarar, e se relaciona com outra tese fundamental, é que o estado burguês tem dono.

O gerente da vez, que neste momento é Temer, atua conforme os marcos gerais que o  imperialismo impõe. Temer não pode sair “inventando moda”, senão ele cai. Seria, para exemplificar, como um gerente de uma padaria o qual não seguisse mais ou menos os alinhamentos gerais do dono da padaria e não conseguisse trazer lucro, ele seria mandado embora. É o problema que Temer enfrenta, mas na hora que ele impôs a intervenção militar no Rio de Janeiro, ele abriu caminho para que a saída militar se fortaleça. É exatamente isso que Marx explicou no célebre livro, escrito em 1852, O XVIII Brumário de Luís Bonaparte, sobre a evolução do golpe de Estado bonapartista na França, onde a cada medida dos partidos burgueses, e que eram medidas que vinham acontecendo mais ou menos no piloto automático, acabava se sucedendo o fortalecimento de uma alternativa abertamente golpista, bonapartista, encabeçada por Luís Bonaparte. E no Brasil, assim como na América Latina e no mundo, acontece a mesma coisa.

+ Política

O judiciário golpista e a liberdade de Lula

O judiciário golpista e a liberdade de Lula

No domingo, dia 8 de julho, fomos surpreendidos com o ato de um desembargador do...

A política do imperialismo alimenta a crise

A política do imperialismo alimenta a crise

A política mundial é um reflexo da crise econômica, ela tem papel de responder essa...

Luta operária e sindical no Brasil  - Parte II

Luta operária e sindical no Brasil - Parte II

Para entender qual deve ser a tendência da burocracia para o futuro dos sindicatos devemos...

A crise da direita e as contradições do golpe

A crise da direita e as contradições do golpe

  As ações golpistas, no Brasil, seguem no sentido do controle do regime político pelo...

A esquerda ornitorrinco e as eleições de outubro

A esquerda ornitorrinco e as eleições de outubro

Seria importante, neste momento, que a esquerda pudesse evitar fazer a repetição da história como...

Luta operária e sindical no Brasil

Luta operária e sindical no Brasil

Para contextualizar dialeticamente os sindicatos e a luta operária devemos analisar a partir do início...

Nem Lula transferindo votos salva a esquerda da crise

Nem Lula transferindo votos salva a esquerda da crise

  A situação nacional está marcada por uma enorme crise econômica que atinge o país...

Para os amigos as benesses da lei, para os inimigos o rigor da lei!

Para os amigos as benesses da lei, para os inimigos o rigor da lei!

  A “luta contra a corrupção” não é nada mais do que uma desculpa utilizada...

O STF no centro do furacão

O STF no centro do furacão

   Para avaliar em que ponto o golpe de Estado no Brasil se encontra hoje...

Na crise capitalista mundial: revolução cultural ou revolução proletária?

Na crise capitalista mundial: revolução cultural ou revolução proletária?

  A esquerda pequeno-burguesa promove a ideia de que a revolução seria feita pelo conhecimento,...

Contagem regressiva para a guerra mundial

Contagem regressiva para a guerra mundial

Após a crise capitalista mundial de 2008 as contradições interimperialistas começaram a aumentar, principalmente entre...

A Rede Globo e o FBI

A Rede Globo e o FBI

  Desde a crise de 2008 o mundo não e mais o mesmo, os grandes...

Copa do Mundo e Golpe de Estado

Copa do Mundo e Golpe de Estado

É absolutamente normal que a burguesia, principalmente sua ala direita, promova manipulações utilizando o futebol...

Voto Nulo nas Eleições Golpistas!

Voto Nulo nas Eleições Golpistas!

Estamos vivendo, hoje, no Brasil, um processo político de golpe de Estado. Apesar de que...

A Coreia do Norte e a crise mundial

A Coreia do Norte e a crise mundial

Para entender a crise geral que está aberta é preciso entender a evolução política mundial...

Estava cheia de si e dormiu

Estava cheia de si e dormiu

 A situação nacional ainda está marcada pela ressaca do movimento dos caminhoneiros. Aumentou o desgaste...

Ciro Gomes com o pé na lama

Ciro Gomes com o pé na lama

A crise política no Brasil dispara como reflexo da crise econômica. Os candidatos da direita...

A crise da direita é a crise da dominação capitalista

A crise da direita é a crise da dominação capitalista

O problema no Brasil deve ser sempre entendido dentro da evolução da crise capitalista mundial...

Os caminhoneiros e a guerra híbrida

Os caminhoneiros e a guerra híbrida

O ponto central do balanço é se essa greve foi uma greve em si, se...

Bate continência aqui e mantenha o respeito

Bate continência aqui e mantenha o respeito

Reunião de militares candidatos em Brasília, dia 8 de maio de 2018 Apareceram nos últimos...

A crise capitalista na Itália

A crise capitalista na Itália

 Há dez anos da crise de 2008, a economia capitalista mundial vem se mantendo em...

E por falar na CIA

E por falar na CIA

  O regime político no Brasil e no mundo avança para um regime mais duro,...

A esquerda sobre rodas

A esquerda sobre rodas

    O movimento dos caminhoneiros, ocorrido nos últimos dias de maio, colocou o governo...

A Crise na Venezuela

A Crise na Venezuela

A Venezuela é um caso muito interessante, sui generis. Foi o primeiro país a entrar...

 A política de terra arrasada para a Petrobras

A política de terra arrasada para a Petrobras

  A política que tem sido aplicada na Petrobras é uma política de terra arrasada...

A "frente popular" e o balaio de gatos

A "frente popular" e o balaio de gatos

A política real do PT, que encabeça a Frente Popular, é a política de Frente...

A crise das eleições e da "legalidade" golpista

A crise das eleições e da "legalidade" golpista

  Nesses dias se "comemorou" dois anos de governo Temer no Brasil. Neste governo Temer o...

A verdade sobre a  luta contra a corrupção

A verdade sobre a luta contra a corrupção

  Em primeiro lugar o imperialismo norte americano assim como o imperialismo como um todo,...

Pela unificação das lutas dos trabalhadores rumo a uma Greve Geral

Pela unificação das lutas dos trabalhadores rumo a uma Greve Geral

  Era certo que, mais dia, menos dia, aconteceria um movimento de protesto dos caminhoneiros...

A esquerda integrada ao regime

A esquerda integrada ao regime

Marx estabeleceu uma luta muito grande contra os setores oportunistas dentro do movimento operário europeu...

A crise do regime político

A crise do regime político

  A teoria fundamental sobre o Estado burguês foi colocada amplamente na Ideologia Alemã, no...

A luta de classes

A luta de classes

  No Manifesto Comunista, escrito em 1848, Marx e Engels distinguem as classes sociais fundamentais...

Argentina: o elo mais fraco

Argentina: o elo mais fraco

    O governo Macri é uma verdadeira escola de neoliberalismo tentando aplicar as políticas...

A crise capitalista total

A crise capitalista total

  A teoria da crise capitalista está bem desenvolvida justamente nesse colosso do marxismo que...

O resto do mundo e o Oriente Médio

O resto do mundo e o Oriente Médio

Ao aprofundamento da crise capitalista nos países desenvolvidos tem se somado a crise de países...

O aprofundamento da crise na América Latina

O aprofundamento da crise na América Latina

    No Brasil, em 1997, houve uma situação parecida com a da Argentina hoje,...

Geraldo Alkmin, dois passos para o alvo

Geraldo Alkmin, dois passos para o alvo

  Agora, o que está acontecendo, dentro da caixa de Pandora aberta pela Operação Lava...

Mortes e prisões no dia do trabalhador

Mortes e prisões no dia do trabalhador

  A política oficial do PT teve como resultado um 1 º de maio, em...

O desespero petista

O desespero petista

    O 1 º de maio de 2018 representou um divisor de águas, marcou...

Quem poderia atender melhor o imperialismo?

Quem poderia atender melhor o imperialismo?

Há uma luta entre alas da burguesia. A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, aderiu ao...

O primeiro motor do golpe

O primeiro motor do golpe

De acordo com a revista The Economist, de 28 de janeiro de 2017, a taxa...

Um golpe sem pausas

Um golpe sem pausas

    No último período, o golpe de Estado no Brasil, continua se desenvolvendo a...

A América Latina nas garras do imperialismo

A América Latina nas garras do imperialismo

A política do imperialismo norte-americano para a América Latina é única. Não se trata de...

O imperialismo quer um Bonaparte para governar o Brasil

O imperialismo quer um Bonaparte para governar o Brasil

Além do que está na linha de frente do golpismo, há o que está na...

A insustentável defesa do menchevismo

A insustentável defesa do menchevismo

As atividades do 1º de maio de 2018 demonstraram o fracasso absoluto da frente popular,...

A paralisia vai durar até quando?

A paralisia vai durar até quando?

  Até esse momento, o imperialismo ainda não impulsionou grandes mobilizações de massas dirigidas pela...

Não se trata da luta do bem contra o mal

Não se trata da luta do bem contra o mal

  O imperialismo organiza sua política para aumentar os ataques contra as massas A esperança...

1º de Maio de 2018 foi um fiasco no Brasil

1º de Maio de 2018 foi um fiasco no Brasil

   O fiasco do 1º de Maio no Brasil mostrou a evidente crise da política...

O fim do governo Temer e a prisão de Aécio Neves

O fim do governo Temer e a prisão de Aécio Neves

  A crise política avança no Brasil. O governo Temer está liquidado. Tanto é assim...

Três projetos políticos que enganaram o povo brasileiro

Três projetos políticos que enganaram o povo brasileiro

Por Florisvaldo Lopes Claro que desde sempre o eleitor é enganado com os discursos demagógicos...

Nacional

O judiciário golpista e a liberdade de Lula

18 Julho 2018
O judiciário golpista e a liberdade de Lula

No domingo, dia 8 de julho, fomos surpreendidos com o ato de um desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que funciona como segunda instância da "República de...

Luta operária e sindical no Brasil - Parte II

13 Julho 2018
Luta operária e sindical no Brasil  - Parte II

Para entender qual deve ser a tendência da burocracia para o futuro dos sindicatos devemos analisar dialeticamente o sindicalismo no Brasil. A ditadura Vargas do Estado Novo nos anos 40...

Luta operária e sindical no Brasil

06 Julho 2018
Luta operária e sindical no Brasil

Para contextualizar dialeticamente os sindicatos e a luta operária devemos analisar a partir do início da organização sindical no Brasil que ocorre ainda em meados do século XIX com o...

Estava cheia de si e dormiu

14 Junho 2018
Estava cheia de si e dormiu

 A situação nacional ainda está marcada pela ressaca do movimento dos caminhoneiros. Aumentou o desgaste do governo Temer e este só se mantém no cargo devido a que estamos a...

Ciro Gomes com o pé na lama

14 Junho 2018
Ciro Gomes com o pé na lama

A crise política no Brasil dispara como reflexo da crise econômica. Os candidatos da direita e da esquerda integrada ao regime estão inviabilizados e os votos brancos e nulos dispararam....

Gazeta Revolucionária [pdf]

Saiba Mais

Massacre ao povo palestino (parte...

A Intifada palestina     Intifada significa revolta, ou literalmente...

Massacre ao povo palestino (parte...

A criação do Estado de Israel Não foi da noite...

Massacre ao povo palestino (parte...

Sionismo praticando a necropolítica em Gaza     A propósito,...

Massacre ao povo palestino (parte...

Nakba, 70 anos de assassinatos No dia 14 de maio...