Domingo, 16 Dezembro 2018

nulo

Na semana passada foi realizada na grande mídia uma campanha de desconstrução da candidatura de Bolsonaro, que culminou com o movimento #EleNão no sábado, dia 29 de setembro, com atos em todo o Brasil. Essa campanha da mídia foi deflagrada pela revista The Economist do dia 20 de setembro em que tinha na capa a foto de Jair Bolsonaro e a manchete: “A última ameaça da América Latina”.

Toda a mídia internacional e nacional se pautou por essa direção. No Brasil, os principais meios de comunicação produziram uma profusão de notícias negativas em relação à Bolsonaro.

Crise no STF

Todo esse clima favoreceu que o ministro do Supremo, Ricardo Lewandowski autorizasse, na sexta-feira, dia 28 de setembro, à Folha de São Paulo entrevistar o ex-presidente Lula.

Essa entrevista poderia dar um impulso na candidatura do PT. E fazer Haddad ultrapassar Bolsonaro, pois as pesquisas estavam indicando uma tendência de crescimento de Haddad já com empate técnico entre os candidatos.

Assim, a liberação para Lula dar entrevista à Folha foi a gota d’água que acendeu o sinal vermelho na extrema-direita nacional. No mesmo dia de sexta-feira o ministro do STF, Luiz Fux, num ato claramente autoritário suspende a decisão de Lewndowski como se liminar fosse, quando na verdade era decisão de mérito.

Na segunda-feira, dia 1º de outubro, O ministro Lewndowski determinou o cumprimento da decisão tomada por ele na sexta-feira sob pena de configuração de crime de desobediência.

Permanecendo o impasse, o ministro da Segurança Pública, Raul Jugmann questionou o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, e este na própria segunda-feira, à noite, determinou a suspensão da decisão que liberava a entrevista de Lula, até que a questão fosse julgada no plenário da Corte.

O golpista Sérgio Moro e o PIG em ação

Na segunda-feira, também, o Juiz Ségio Mora vazou parte da delação premiada de Antônio Palocci, que afirma que Lula sabia da corrupção na Petrobras desde 2007 e revela o loteamento de cargos para garantir propinas para Caixa 2. E que a campanha de Dilma em 2014 custou R$ 800 milhões e em 2010, R$ 600 milhões, metade do que foi declarado para o TSE. É uma delação sem provas, vazada por Sérgio Moro às vésperas das eleições.

Ainda na segunda-feira, dia 1º, saiu mais a pesquisa do IBOPE e na terça-feira, dia 2, sai a pesquisa DATAFOLHA. Muito semelhante uma com a outra, que aferiam crescimento de Bolsonaro e estagnação e aumento da rejeição de Haddad.

IBOPE: Bolsonaro 31% e Haddad 21% com empate técnico entre os dois no 2º turno.

DATAFOLHA: Bolsonaro 32% e Haddad 21% com empate técnico no 2º turno.

Na quarta-feira, dia 03, saiu a nova pesquisa do IBOPE e quinta-feira, dia 04, a do DATAFOLHA.

IBOPE: Bolsonaro 32% e Haddad 23% com empate técnico entre os dois no 2º turno.

DATAFOLHA: Bolsonaro 35% e Haddad 22% com empate técnico no 2º turno.

Essas pesquisas foram totalmente diferentes das anteriores, o que indica manipulação, mas que não é novidade, pois as pesquisas servem para controlar e direcionar o cenário político conforme os interesses do capital.

Então, na semana passada tinha uma campanha na mídia contra Bolsonaro e esta semana inicia com uma campanha forte contra o PT. Será que o imperialismo mudou de orientação durante o final de semana? Certamente não. Apenas um exemplo: a agência de classificação de riscos Standard & Poor's afirma que “Bolsonaro é maior risco de que Haddad para a economia”.

O imperialismo já sinalizou contra Bolsonaro

Para entender essas contradições, tem que raciocinar do ponto de vista de classe, pois a sociedade é dividida em classes sociais e os movimentos na superestrutura político- jurídica da sociedade respondem a interesses materiais das diferentes classes e dos diferentes setores de classe. Aqui, mais especificamente com os interesses materiais conflitantes entre os diferentes setores da classe dos capitalistas.

O imperialismo por meio da revista The Economist sinalizou contra Bolsonaro porque prefere a estabilidade de um governo de unidade nacional em torno de Haddad. Governo este que seria formado com elementos pró mercado ocupando os cargos principais, como o economista Marcos Lisboa, presidente do INSPER, que é cotado para ser ministro da economia de Haddad, e com uma atuação discreta do PT, ficando em segundo plano no governo.

Porém, devido à polarização política, setores da burguesia nacional brasileira anseiam por resultados imediatos e veem em Paulo Guedes a possibilidade de alavancar seus lucros ainda que seja apenas no curto prazo, uma vez que a tendência de um governo Bolsonaro no médio prazo é a desestabilização política e a bancarrota na economia.

As contradições entre os setores burgueses

A burguesia no Brasil tem uma característica de não se preocupar em construir um projeto nacional. Ela vive mais é de priorizar os interesses regionais, setoriais e imediatos como, por exemplo, o latifúndio, o chamado agronegócio, setor de extrema direita que apoia a intervenção militar e foi ativo no lockout das empresas de transportes - a chamada greve dos caminhoneiros.

Os setores ligados à indústria, também sempre olharam só para o seu umbigo. Os médios e pequenos empresários à beira de falência e a classe média desesperada, têm esperanças de melhorar de vida iludidos com a propaganda da extrema direita.

Há também um setor de trabalhadores que está com a direita. Trotsky disse que a classe operária não é unificada e que tem setores que olham para trás e setores que olham para a frente. E a política de conciliação de classes do PT jogou muito trabalhador no colo da direita.

Há um setor grande da burguesia nacional que está com Bolsonaro. Mas também há importantes setores que estão com Haddad, que concordam com a linha do capital financeiro internacional de garantir algo mais duradouro e controlado do que um governo Bolsonaro que indica desestabilização e a possibilidade de colocar o país à beira de uma guerra civil.

E é sobre essa polarização que a burguesia internacional procura se adaptar flutuando sobre os diferentes setores nacionais na busca de uma solução que seja melhor para os negócios.

Haddad estruturará uma frente popular de centro-direita

Nesse sentido, a política do imperialismo está cuidadosamente direcionada para pressionar, controlar e conduzir a candidatura do PT e, na eventualidade de vencer as eleições, seu futuro governo, para uma localização política bem mais à direita do que os governos anteriores que foram encabeçados pelo PT.

O que implicaria em montar um governo mais à direita do que o governo Dilma e muito próximo do governo Temer ou FHC, pois o ideal da burguesia financeira é um governo de “coalizão nacional” com a maioria dos partidos envolvidos, com maioria no Congresso Nacional e que avance na aplicação de um brutal ajuste econômico contra os trabalhadores.

E o PT se presta para impulsionar esse tipo de governo, tanto é que Haddad já se aproximou do mercado financeiro em vários encontros com representantes desse setor e já se comprometeu a fazer um ajuste fiscal e a encaminhar ao Congresso uma proposta de Reforma da Previdência.

A lógica, guardando as especificidades, é semelhante à das eleições francesas no ano passado. O candidato centrista Emmanuel Macron fez um movimento para unir setores da esquerda e da direita para  enfrentar a extrema direita representada pela candidatura de Marine Le Pen.

Macron venceu e se revelou o candidato dos banqueiros internacionais. Aqui no Brasil, hoje, a pressão do imperialismo é para  que um futuro governo Haddad seja também o representante do capital conformando uma frente popular de centro-direita.

O golpe escalará para um patamar superior independente de quem seja o próximo governo

E também nunca podemos esquecer que há um golpe em andamento, que essas eleições foram manipuladas pelo golpismo e que no ano que vem o golpe vai escalar independente de quem compor o governo.

A lógica golpista não avança pelas instituições normais do regime democrático burguês, como o executivo e parlamento, que são eleitos pelo povo, mas pelas instituições que não são eleitas e que tem o monopólio da força e da interpretação e aplicação das leis e das ideologias, a seu bel prazer.

As eleições dão uma máscara democrática ao golpe e iludem a população que pensa que pode influenciar no futuro do país com o exercício do voto

O golpe é aplicado pela burguesia por meio do Poder Judiciário, principalmente a Lava Jato e o STF, mas em combinação com o Ministério Público, a Polícia Federal, as Polícias Militares, as Forças Armadas, os grandes meios de comunicação de massas (mídia golpista) e os grandes meios de contenção de massas (igrejas e burocracias sindical e de “esquerda” em geral).

E a ameaça de um golpe militar vai assombrar o próximo governo, principalmente se este for um governo Haddad, fazendo pressão para que se apliquem os planos de ajuste de interesse do imperialismo.

Por isso os trabalhadores não podem se iludir com essas eleições, que são na verdade uma continuidade do golpe por outros meios. Passado o 2º turno, com a ascensão do novo governo, independente de quem vencer, os ataques aos direitos dos trabalhadores virão com força, pois o novo governo terá mais “legitimidade” para aplicar os ajustes neoliberais.

Nós trabalhadores devemos votar nulo nessas eleições golpistas, rechaçando o circo eleitoral montado para enganar os incautos. E devemos, também, desde já preparar a resistência da nossa classe aos ataques que virão, pois só a força dos trabalhadores mobilizados poderá barrar a aplicação dos planos de arrocho e desemprego promovidos pelos capitalistas e seus capachos.

Voto nulo nas eleições golpistas!
Somente a mobilização dos trabalhadores pode barrar o golpe!

+ Política

Fora Bolsonaro e o Golpe Militar!

Fora Bolsonaro e o Golpe Militar!

A crise está instalada no futuro governo com a denúncia de corrupção contra a família...

O que está acontecendo na França?

O que está acontecendo na França?

Os protestos que têm acontecido na França nas últimas semanas representam um dos principais sintomas...

A classe operária entrará em movimento?

A classe operária entrará em movimento?

A situação de levante popular na França indica uma mudança na situação da luta de...

A crise do lulismo e a luta dos trabalhadores

A crise do lulismo e a luta dos trabalhadores

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, liberou esta semana o julgamento de...

O fim do Lulismo

O fim do Lulismo

  A condenação de Lula de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção...

Liberdade para Lula!  Fora Bolsonaro e o golpe militar!

Liberdade para Lula! Fora Bolsonaro e o golpe militar!

O depoimento de Lula no dia 14 de novembro, sobre o processo do sítio de...

Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

A vitória de Jair Bolsonaro no Brasil faz parte da guerra “silenciosa” (híbrida, assíncrona, ou...

Dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro/Paulo Guedes

Dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro/Paulo Guedes

  A chapa Bolsonaro/Paulo Guedes venceu as eleições presidenciais de 2018 porque o PT, apoiado...

Agora como farsa?

Agora como farsa?

Por Paulo Uribe A partir de golpe de Estado, em 31 de março de 1964,...

Golpe militar em andamento. O que fazer?

Golpe militar em andamento. O que fazer?

Os ataques contra os trabalhadores vêm de maneira acelerada com o governo Bolsonaro. Praticamente todos...

“Lei do Abate”, autonomia da polícia

“Lei do Abate”, autonomia da polícia

Quais as consequências para os trabalhadores e a população pobre e negra dos subúrbios? Por...

As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

O governo Bolsonaro já está, de fato, no comando do país. Nenhuma medida do governo...

A “esquerda” legalizou o golpe “bolsonarista”

A “esquerda” legalizou o golpe “bolsonarista”

  Desde o impeachment de Dilma, que foi um golpe parlamentar, a direita apertou o...

Como lutar contra o governo Bolsonaro?

Como lutar contra o governo Bolsonaro?

As eleições de outubro de 2018 representaram uma das maiores fraudes dos últimos tempos. A...

Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

No segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, venceu a fraude eleitoral do imperialismo norte-americano,...

Against the military coup in progress

Against the military coup in progress

BRAZIL No agreements with Bolsonaro   In the second round of presidential elections in Brazil,...

28 de outubro - Eleições de carta marcada - 00confirma

28 de outubro - Eleições de carta marcada - 00confirma

Nos últimos dias antes das eleições, ficou claro que além de ser um circo eleitoral,...

Bolsonaro, o Trump brasileiro

Bolsonaro, o Trump brasileiro

Encontro de Eduardo Bolsonaro com Steve Bannon Foto: Reprodução A vitória de Donald Trump em...

Muito mais que eleições, os trabalhadores precisam se organizar para lutar

Muito mais que eleições, os trabalhadores precisam se organizar para lutar

Por Antônio Fernando Analisando a conjuntura atual, vemos que a crise do sistema, que só...

O PT como oposição golpista consentida

O PT como oposição golpista consentida

É importante fazer a discussão do processo eleitoral compreendendo o contexto do golpe de Estado...

Bolsonaro não é fascista! Pode ser uma ameaça ainda maior!

Bolsonaro não é fascista! Pode ser uma ameaça ainda maior!

Por Sergio Lessa Há uma enorme confusão na avaliação do cenário político nacional, nestes dias...

Por que a vitória de Bolsonaro é praticamente certa?

Por que a vitória de Bolsonaro é praticamente certa?

O grande ponto que deve ser avaliado, em se tratando das eleições no Brasil, é...

A saga de um traidor. Doria e sua política (neo) liberal

A saga de um traidor. Doria e sua política (neo) liberal

Por Florisvaldo Lopes     No debate realizado pela TV Bandeirantes, o candidato do PSDB...

Segundo turno. Duas caras da mesma moeda

Segundo turno. Duas caras da mesma moeda

Por Florisvaldo Lopes Após uma grande polarização entre Haddad (PT), uma aposta do imperialismo europeu,...

Haddad faz gol contra

Haddad faz gol contra

A campanha do PT no segundo turno está bem diferente da campanha do primeiro turno....

Haddad é Lula?

Haddad é Lula?

Recentemente apareceu nas notícias que Fernando Haddad teria visitado o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal...

Haddad, semeando derrotas

Haddad, semeando derrotas

A recente campanha de Fernando Haddad tem se mostrado um desastre completo que está conduzindo...

Haddad joga para perder

Haddad joga para perder

A campanha de Fernando Haddad, como candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), no segundo turno...

Haddad joga para perder no 2º turno?

Haddad joga para perder no 2º turno?

    As eleições de 2018 acontecem como parte do processo golpista e servem para...

A delação de Palocci pode derrubar Haddad?

A delação de Palocci pode derrubar Haddad?

Recentemente foram liberadas pelo juiz Sergio Moro as delações do ex-ministro Antonio Palocci, há 6...

O STF e o Golpe

O STF e o Golpe

O golpe de Estado no Brasil progride com contradições, mas progride. Já temos falado várias...

Voto nulo nas eleições golpistas #00confirma

Voto nulo nas eleições golpistas #00confirma

Na semana passada foi realizada na grande mídia uma campanha de desconstrução da candidatura de...

Mudança imperialista aos 45 minutos do 1.º tempo do jogo político no Brasil.

Mudança imperialista aos 45 minutos do 1.º tempo do jogo político no Brasil.

Por Florisvaldo Lopes O imperialismo, principalmente o norte-americano, que deu o golpe na dita “democracia”...

Haddad “adotado” pelos Rothschild?

Haddad “adotado” pelos Rothschild?

É corrente nos meios de comunicação de massas a afirmação de que as eleições deste...

Rachaduras na candidatura Bolsonaro

Rachaduras na candidatura Bolsonaro

O evento mais importante da semana foi a matéria de capa da revista The Economist,...

O roteiro golpista no Brasil

O roteiro golpista no Brasil

O golpe de Estado deve ser visto como um processo que começa em 2005 na...

A candidatura Haddad e as eleições golpistas

A candidatura Haddad e as eleições golpistas

Esta semana tivemos a oportunidade de observar como a burguesia manipula o processo eleitoral especificamente...

América Latina rumo ao precipício

América Latina rumo ao precipício

A crise capitalista mundial tem forte influência no Brasil e na América Latina. O centro...

Bolsonaro e os militares

Bolsonaro e os militares

  Na atual conjuntura, é muito válida a célebre máxima do grande filósofo alemão Friedrich...

Haddad, Bolsonaro e o Golpe

Haddad, Bolsonaro e o Golpe

O “atentado” contra Jair Bolsonaro, candidato à presidência da República pelo Partido Social Liberal (PSL),...

Venezuela – qual o significado das novas medidas econômicas?

Venezuela – qual o significado das novas medidas econômicas?

  Entrou em vigor, no dia 20 de agosto, o pacote de medidas econômicas adotas...

Aos trabalhadores brasileiros

Aos trabalhadores brasileiros

Por Florisvaldo Lopes Caros camaradas, Nesse momento em nosso país enfrentamos uma das maiores crises...

Bolsonaro - mais que uma facada

Bolsonaro - mais que uma facada

O recente ataque a Bolsonaro durante caminhada em Juiz de Fora/MG, acabou representando todo um...

Como se posicionar nas eleições golpistas?  #00Confirma

Como se posicionar nas eleições golpistas? #00Confirma

O candidato tucano do PT, Fernando Haddad, pode até decolar, mas vai encontrar muitos ataques...

É ilusão pensar que é possível repetir o governo Lula

É ilusão pensar que é possível repetir o governo Lula

  A propaganda eleitoral do Partido dos Trabalhadores está calcada em cima da perseguição política...

Lula com 40% e o imperialismo ainda não definiu seu candidato

Lula com 40% e o imperialismo ainda não definiu seu candidato

  Lula é líder absoluto nas pesquisas de intenção de voto para presidente da república....

Haddad X Bolsonaro no 2º turno?   #00confirma

Haddad X Bolsonaro no 2º turno? #00confirma

  Esta semana, as pesquisas de intenção de voto à Presidência da República deram a...

O que revelam as pesquisas eleitorais - #00confirma

O que revelam as pesquisas eleitorais - #00confirma

A esquerda ligada à política eleitoreira e de conciliação de classes tem impulsionado uma série...

#00confirma

#00confirma

A ditadura do judiciário fica cada vez mais clara em todos os sentidos, apesar deste...

O imperialismo e os donos da padaria

O imperialismo e os donos da padaria

Para quem diz que Alckmin é o candidato natural do imperialismo tem de ver que...

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr19 capa

Números Anteriores


AcordaTI 01capa  


 manifesto periferia capa.fw


Acorda Educador 0 capa