Quarta, 16 Janeiro 2019

Por Florisvaldo Lopes

vargemgrande3


As lideranças dos movimentos populares como MST, MTST,  Associações de Bairros e Sindicatos estão quase todas burocratizadas. Nos últimos anos deixaram de organizar a luta  de suas bases para negociar diretamente com os governos, principalmente com os governos petistas.

Essas lideranças precisam urgentemente sair da imobilidade e começar a organizar a luta nos bairros populares, nas comunidades, etc., para enfrentar o governo Bolsonaro,  seus ministros entreguistas e seus generais, que vão impor leis muito mais duras contra os movimentos populares.

No caso das comunidades e dos bairros irregulares vão fazer o possível para desapropriá-los e entregar suas áreas aos especuladores imobiliários. Dessa forma pode acontecer o que vimos na ocupação do bairro Pinheirinhos, em São José dos Campos, SP, em 2012,  onde desapropriaram 7.500 famílias com o uso de bombas de gás e de baionetas, sendo que, naquele momento, os militares não estavam no governo! E tudo isso se deu para devolver o terreno a um especulador que devia mais de 15 milhões de reais em impostos atrasados.

http://www.gazetarevolucionaria.com.br/index.php/movimento-social/572-mais-chumbo-grosso-contra-os-movimentos-populares

Aqui em meu bairro Vargem Grande, região de Parelheiros, extremo sul de São Paulo, a Prefeitura queria desapropriar 2000 famílias, em 2013, para ampliar o parque de Ecoturismo que está situado próximo. Depois que nós travamos uma longa luta contra essa remoção injusta de famílias, o poder público engavetou o projeto. Que isso sirva de exemplo para outras mobilizações!

Não às remoções em Vargem Grande!

Nesse momento, algumas secretarias municipais tipo a SEHAB estão juntamente com o Ministério Público elaborando estudos para regularizar a parte já pavimentada do bairro, que consiste em apenas 30% da área total. O objetivo é remover os  moradores  do restante da área que serão jogados ainda mais na irregularidade. Essa é a área que queriam remover em 2013 e que, se não fosse a luta organizada dos moradores, teriam conseguido.

Com certeza, o poder público, ainda mais com esse governo super entreguista que virá,  tentará continuar removendo até desapropriar todos os moradores da área conhecida como  "cratera". Essa é  a política de dividir para controlar. Quando pavimentarem 30% do bairro os moradores dessa área sairão da luta!

Quanto ao parque de Ecoturismo, que o poder público quer ampliar removendo a população de Vargem Grande,  será privatizado com certeza, assim como todos os parques da cidade de  São Paulo.

É necessário retomar as lutas no nosso bairro e nos unirmos com outros bairros carentes para derrotarmos os governos federal, estaduais e municipais que pretendem entregar todas as riquezas do Brasil ao imperialismo mundial em crise terminal, principalmente ao imperialismo norte americano, a troco de pinga e às nossas custas.

Fora Bolsonaro e o golpe militar!
Por um encontro ampliado de moradores da periferia em caráter de urgência!
Não à especulação imobiliária!
Pela legalização fundiária, obras e serviços públicos!
Fora o imperialismo do Brasil e da América Latina!

Gazeta Revolucionária [pdf]