Sábado, 15 Dezembro 2018

Por Florisvaldo Lopes

periferia

Em cima dos ataques do capital, a especulação imobiliária tende a aumentar no próximo período, e os bairros periféricos, os subúrbios e as comunidades de baixo poder aquisitivo que compõem a estrutura urbana das cidades de médio e grande porte, serão seus principais alvos.

A população desses setores é a que mais sofre com o avanço dessa especulação com as ameaças de cortes no transporte e na infraestrutura, de desocupação, etc., e devemos nos organizar para a luta que virá.

Esses ataques reduziram um pouco com o golpe de Estado contra o governo de Dilma Rousseff, mas tendem a voltar com muito mais força porque o capital imperialista precisa garantir ganhos para que sua taxa de lucros não caia ainda mais.

A luta nos bairros precisa iniciar pelas necessidades imediatas da população, porém é preciso direcionar essa luta contra os ataques desferidos pelos governos, ou seja, vincular a luta imediata com a luta política, se organizando para enfrentar os ataques do Governo Doria/Bolsonaro.

Isso se faz necessário para que não se repitam eventos como o da operação violenta de reintegração de posse realizada em janeiro de 2012, na comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos, SP, onde ocorreram mortes e desaparecimento de moradores numa operação que ficou conhecida como "o massacre do Pinheirinho".

O acirramento da luta no campo também tende a aumentar, devido aos ataques dos latifundiários contra esses trabalhadores, através do Projeto de Lei 4059/2012 que foi elaborado pela Comissão de Agricultura e Pecuária da Câmara e que é controlada pelos ruralistas.

Além de aumentar ainda mais a exploração dos trabalhadores rurais e pequenos agricultores, essa lei pode expulsá-los da terra na medida em que abre as porteiras do Brasil para que estrangeiros comprem terras no país sem limites de extensão.

A luta dos bairros pobres deve ser organizada a partir da unidade com a luta operária e a luta de todos os explorados e oprimidos, inclusive os explorados do campo, que acontecerão contra os ataques que os capitalistas em crise e seus representantes no governo implementarão.

         

Fora Bolsonaro e o golpe militar!
Por um encontro ampliado de moradores da periferia em caráter de urgência!
Não à especulação imobiliária!
Pela legalização fundiária, obras e serviços públicos!
Fora o imperialismo do Brasil e da América Latina!

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr19 capa

Números Anteriores


AcordaTI 01capa  


 Acorda Vargem Grande 0 capa


Acorda Educador 0 capa