Sábado, 15 Dezembro 2018

Rejeitos de chumbo, bauxita e soda caustica vasam em Bacarena, Pará.

barcarena hydro

Após a denúncia da população e diversas negativas da mineradora e de fiscalizações da Secretaria de Meio Ambiente do Pará, um laudo do Instituto Evandro Chagas constatou o vazamento de rejeitos e a presença de diversos metais pesados como chumbo e solda caustica.

Esse vazamento contaminou as águas dos rios e inclusive os poços artesianos os quais a população usa para ter água potável para seu uso. Sete dias após o vazamento foi que a mineradora Hydro e as autoridades locais distribuíram agua mineral para a população. Ou seja, após sete dias da população ser envenenada tomando água contaminada.

Os moradores reclamam que toda assistência prestada pela mineradora se resume a distribuição de água e cestas básicas, porém o mais importante seria atendimento médico para ver o nível de contaminação da população.

Assim como na destruição de Mariana e outras cidades em Minas Gerais pelo vazamento da mineradora Samarco, grande parte da imprensa elitista brasileira anuncia essas destruições capitalistas como “tragédia ambiental”. O que eles não falam é que isso é o resultado da busca de lucro a qualquer custo do capitalismo! O capitalismo pouco se importa se muitas vidas vão ser perdidas nesses “desastres ambientais”, o lucro é o que importa.

Além de um vazamento de restos tóxicos de mineração, que contaminou diversas comunidades de Barcarena, no Pará, a gigante norueguesa Hydro usou uma "tubulação clandestina de lançamento de efluentes não tratados" em um conjunto de nascentes do rio Muripi, aponta um laudo divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Evandro Chagas, do Ministério da Saúde”.  A empresa deve R$ 17 milhões ao Ibama em multas por contaminação de rios da região em 2009. (Fonte BBC Brasil).

Esses “desastres ambientais” cada dia se tornam mais rotineiros principalmente depois da implantação da politica neoliberal do imperialismo para os países subdesenvolvidos. Politica essa que no Brasil chegou ao seu apogeu com o privatista e entreguista FHC em 1992.

Com as privatizações e com a entrega das riquezas naturais do país para a exploração do capital estrangeiro, que leva as riquezas do Brasil para investir nos seus países, ao povo brasileiro só resta desastre, desemprego, falta de investimento em saúde, em educação, fome etc.

No atual momento, com o avanço da crise econômica capitalista, em um país de governo golpista, o qual está atacando cada vez mais os direitos essenciais do povo brasileiro, principalmente dos trabalhadores, estes são quem pagam por essa crise com sangue e suor. O futuro desse povo é cada dia mais  incerto. E todos esses ataques só têm um objetivo, repassar o dinheiro dos cortes da educação, da saúde, dos salários etc, para manter as taxas de lucros dos capitalistas, principalmente dos imperialistas norte-americanos.

Aos explorados brasileiros só resta a união na luta contra a burguesia nacional a qual deu um golpe na politica nacional para abrir mais ainda as portas do país para a exploração imperialista, na  luta contra a burocracia dos partidos de esquerda os quais estão paralisando a luta dos explorados pois só pensam em eleições e em manter seus carguinhos dentro do estado burguês e assim manter suas vidinhas parasitárias às custas dos votos dos trabalhadores e na luta contra a burocracia sindical que, assim como os políticos da esquerda pequena burguesa, matam a própria mãe para manter seus cargos.

O caminho é a organização independente e a luta revolucionária

Os sindicatos hoje não passam de pequenos feudos controlados por um punhado de parasitas que usufruem do dinheiro pago pelos trabalhadores, mantendo suas mordomias pessoais e traindo os trabalhadores, inclusive vendendo suas lutas aos patrões.

A luta dos trabalhadores nesse momento de tantos ataques golpistas é em primeiro lugar nas ruas, em segundo lugar dentro dos sindicatos arrancando os mesmos das mãos desses trustes pelegos e colocando os sindicatos a serviço da luta dos trabalhadores. Porém essa luta nos sindicatos não se dá fazendo alianças com os picaretas das atuais gestões, os trabalhadores devem retomar os sindicatos e ter o maior cuidado para não se burocratizarem, afinal os patrões virão para cima dos sindicatos com força e, principalmente, com dinheiro para comprá-los e controlá-los como faz com a burocracia atual.

Na politica a luta é a criação do partido operário e camponês, esse deve ser controlado com mão de ferro pelos trabalhadores, para não serem comprados pela burguesia  da mesma forma como muitos foram ao longo da historia. Com a criação do partido operário a luta é tomar o poder do Estado da mão da elite e fazê-lo funcionar para os trabalhadores, usando todo o seu aparato que hoje é usado pela burguesia contra os trabalhadores. Da mesma forma usaremos o aparato contra a burguesia, em primeiro lugar contra a burguesia capitalista estrangeira expropriando seu poder capital e o colocando na mão do estado operário, mesmo porque o capital da burguesia foi expropriado ao longo dos tempos da classe operária e camponesa. Ou seja tomemos o que já nos tomaram. Em segundo lugar expropriando a burguesia nacional.

Pelo fim da exploração do Homem pelo Homem!
Pela criação do partido operário e camponês!
Pela socialização do modo de produção, hoje na mão de um punhado de parasitas! 

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr19 capa

Números Anteriores


AcordaTI 01capa  


 Acorda Vargem Grande 0 capa


Acorda Educador 0 capa