Quarta, 21 Novembro 2018

correios ott

Em 2008, houve uma tentativa da empresa em acabar com os OTTs (Operadores de Triagem e Tranbordo), naquele momento estava a frente da investida, O Sr. Hélio Costa, e só não conseguiu levar adiante o projeto devido à luta dos trabalhadores. Mas a burocracia sindical assinou um Acordo estabelecendo o cargo amplo (Agente Postal).

Recentemente veio à baila novamente a privatização do setor, a burocracia sindical como sempre, fazendo corpo mole, começou a propagandear que seria muito difícil impedir a terceirização pois os OTTs não teriam disposição de luta, que toda mobilização na empresa ficava por conta dos carteiros, etc. Nada mais enganoso visto, por exemplo, a mobilização dos OTTs do complexo do CTP/CTC Jaguaré e CTC Saúde em São Paulo, demonstrando que a divisão da categoria era arquitetada pela direção da empresa e pela burocracia sindical.

Passados quase 10 anos de investida da infiltração privatista na empresa, novamente, no dia 26 de janeiro deste ano, os trabalhadores se deparam com uma nota  anunciando que os trabalhadores que executam a função de OTT’s serão transferidos para os CDD´s (Centro de Distribuição Domiciliar), as agências, designados para a função de carteiro, já os OTT´s com restrições médicas ocuparão as funções de Atendente Comercial.

O que podemos perceber é que a nova legislação trabalhista está sendo aplicada nos Correios com o objetivo de privatizar a empresa e penalizar ainda mais os seus funcionários. Ao que tudo indica a burocracia sindical ficará nos atos estritamente jurídicos, jogando no campo e com as regras do Estado burguês. Uma mobilização controlada de vez em quando para manter a aparência combativa, mas no fundo traindo as lutas e buscando apenas manter os privilégios que os aparatos sindicais lhes proporciona.

É necessário fazer os Comitês de Defesa da Empresa, em cada local de trabalho, para barrar o sucateamento, a terceirização e a privatização. Por um Correio 100% estatal.

Sucateamento e privatização

Em contato com os trabalhadores, o Gazeta Revolucionária (GR) pode constatar diversas irregularidades em vários locais de trabalho dos Correios em São Paulo, onde os trabalhadores sofrem com o descaso da direção da empresa e desrespeitos às normas de segurança e higiene condizentes com as atividades realizadas pela empresa. Por isso, será encaminhado uma reclamação à Delegacia Regional do trabalho com denúncia sobre as condições de trabalho no complexo do Jaguaré.

O setor responsável pelas demandas do prédio está localizado no CTC Jaguaré e situa-se no Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho  (SESMET), de onde  deve ser designado um técnico do trabalho, juntamente com um fiscal, para que as notificações sejam elaboradas de forma que os trabalhadores estejam também em acompanhamento neste processo.

Setores como o Centro de Tratamento Operacional (CTO), que têm em sua maioria trabalhadores motorizados, não têm condições mínimas de tratar o fluxo de  objetos. Os trabalhadores ficam expostos ao sol manipulando as encomendas nas mesas pantográficas, em um calor exorbitante que chega aos 35º graus. É o caso do CTO Jaguaré, sendo esta apenas uma das dezenas de denúncias vindas do setor.

No mesmo lugar, há uma sala que deveria ser colocada à disposição para lazer dos trabalhadores mas que está sendo revitalizada somente para os chefes da unidade. Segundo companheiros da CIPA,  a sala de lazer, pias sanitárias, refeitórios, dentre outros não estão em condições de uso e podem trazer riscos à saúde de quem os utiliza.

Já foi denunciado ao Ministério Público do Trabalho (MPT) que multou a empresa, mas ao invés de a situação melhorar para os trabalhadores, houve foi mais repressão por parte de quem poderia resolver os problemas ali identificados. Como é o caso do senhor Amaral, que ordenou que retirassem as mesas e cadeiras do refeitório porque elas não tinham PIB’s.

Portanto, a bandeira a ser erguida pelos companheiros da unidade do CTO Jaguaré e demais unidades dos trabalhadores dos Correios deve passar pelo crivo e votação dos próprios trabalhadores e não da parte parasitária da empresa, para que as demandas funcionais estejam de acordo com os interesses da base.


Não à privatização dos Correios!
Organizar comitês de trabalhadores em todas as unidades em defesas dos Correios, contra a terceirização e privatização!
Fora Kassab! Fora Temer!
Correios 100% público e de qualidade!

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr16 capa

 gr15capa