Quarta, 21 Novembro 2018

cb3da690 ffd8 45bd 94dd 171e211dc663Dia 03 de maio de 2018 – 7º dia de greve da Educação Infantil em BH


Alexandre Kalil (o Kalílgula), prefeito de Belo Horizonte, mandou um recado para as professoras da Educação Infantil em negociação no dia 02 de maio de 2018, que não negociará mais com a categoria se não aceitarem a primeira contraproposta que ele colocou à mesa,  e ameaça os professores de cortes no pagamento. Mas o Comando de Greve apresentou na assembleia realizada no dia 3 de maio, a posição de rejeitar a proposta do prefeito Kalílgula que não quer fazer a equiparação das Carreiras - entre Educação Infantil e Educação Básica.

A Professora Patrícia, da UMEI Camargos, foi quem deu a posição do Comando de Greve: “eu sou da luta desde sempre, e quem estava aqui no dia 5 de abril lembra que nós votamos por uma paralisação, uma greve específica da Educação Infantil e tiramos um lema que seria a unificação de carreira, na nossa avaliação a carreira do Ensino Fundamental quando o professor ingressa e entra com seu diploma de nível superior ele é posicionado no nível 10, o Kalil ofereceu pra quem tá na Educação Infantil e entrou e apresenta o diploma de nível superior vai ser posicionado no nível 5, isso é equiparação de carreira? Isso é Carreira Única? É isso que nós queremos? [a assembleia responde em uníssono? NÃO!] Então não podemos aceitar, isso pra nós não é proposta, isso é proposta indecente. No Comando de Greve nós achamos que não nos atende então a greve continua, pelo Comando de Greve essa greve continua, aí vai depender de vocês”.

A professora Poliana interviu dizendo que “tem 14 anos que estamos lutando para discutir o Plano de Carreira, vocês querem mais 14 anos. Eu não quero mais 14 anos para discutir Carreira na mesa de outro prefeito não, temos que fechar as UMEIs, quem for amanhã é pra enviar bilhete de greve por tempo indeterminado, amanhã, quem veio só para a assembleia façam o favor, olhem para esta situação, somos muitos defendendo a unificação de carreira, estamos lutando pelo que é justo, se houver ameaça de corte no pagamento vamos assumir isso, mas isso aqui é investimento, é investimento na nossa carreira, hoje é dia 3, vamos voltar pra fechar UMEI é isso que vai garantir a mesa de negociação, é pressão aqui fora [...] então é greve por tempo indeterminado.”

  

 
Foi informado ainda que a Secretária de Educação, Ângela Dalben, marcou uma reunião para amanhã, dia 04 de maio, na Secretaria Municipal de Educação (SMED) com diretoras e vice-diretoras para falar sobre a carreira da categoria, também a Câmara Municipal está chamando uma Audiência Pública para o dia 21 de maio para discutir a equiparação das Carreiras. Portanto, o momento é de fortalecer a greve,  parando aquelas UMEIs que ainda estão em funcionamento e sobretudo fortalecendo as manifestações com a participação da Comunidade.

O importante é fazer o movimento crescer e unificar com a Educação Básica, não pode ser um movimento fatiado. Foi sugerido por uma Professora fazer a formação de grupos para ficar nos semáforos (sinais) do centro da capital para vender água e pipoca, com faixas dizendo “Somos da Educação Infantil, estamos sem salário e precisamos sobreviver”. Essa luta tem tudo para ser vitoriosa, é preciso tirar a Educação Infantil da invisibilidade e colocá-la no centro das atenções.  As mulheres compõem mais de 90% da categoria e estão mostrando disposição de luta, mesmo levando bomba e água gelada das forças repressivas do Estado.

[combinado para amanhã, dia 04 de maio, às 13 h, todos no UMEI Calafate)

 

Equiparação Salarial!
Carreira Única já!
Viva a luta da Educação Infantil!
Unificação da luta com a Educação Básica!

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr16 capa

 gr15capa