Sábado, 15 Dezembro 2018

eua usa

A decadência do sistema capitalista imperialista é monumental. A taxa de lucros dos monopólios, segundo a revista The Economist de 28 de janeiro de 2017, caiu 25% entre 2012 e 2017. Entre 2009 e 2012 o grande capital conseguiu conter a queda dos lucros, que se acentuou devido à crise de 2008, em cima de resgates trilionários.

Dezenas de trilhões de dólares foram utilizados para resgatar o grande capital que não consegue mais se sustentar sozinho e precisa espoliar o tesouro, os recursos públicos. Das 100 grandes empresas que controlam o mundo as 28 principais são grandes conglomerados financeiros. Somente com os derivativos financeiros a especulação financeira mundial movimenta 10 vezes mais do que a economia real que, por sua vez, já é muito parasitária.

Dentro desse "efeito contágio" generalizado no mundo, a crise no Brasil avança a 10 mil por hora. A da Argentina também avança de maneira muito rápida. O aperto do imperialismo contra esses dois países é muito grande e isso os está levando para um colapso. A Argentina obteve um empréstimo do FMI de US$50 bilhões para manter a especulação financeira acelerada, e o governo do presidente Mauricio Macri já está enfrentando um racha muito grande na base. Esses empréstimos sempre vêm com cobranças grandes contra a população, contra a classe operária. Temos de ver o que vai acontecer no próximo período, porque esses ataques evidentemente provocarão reações dos explorados.

Frente Popular no México para impulsionar a mesma política

Um fato muito importante nesses dias foi a vitória no México do candidato López Obrador, esquerdista que foi um dos fundadores e um dos principais elementos do PRD, Partido Revolucionário Democrático, originário de um racha do PRI, Partido Revolucionário Institucional.

López Obrador tinha perdido as duas últimas eleições, em 2006 e 2012, porque essas tinham sido fraudadas de uma maneira aberta. Ele venceu com 50% dos votos, mais votos do que todos os outros candidatos juntos, obteve maioria no senado, maioria na câmara e venceu em quase todos os estados.

Com todo esse capital eleitoral obviamente que teria de enfrentar o imperialismo que é quem está ocasionando todas as mazelas que existem no México. O problema é que ele está tentando viabilizar uma frente popular de extrema direita e a probabilidade que ele enfrente, de fato, o imperialismo, apesar da campanha populista, é bastante remota.

A dependência do México aos EUA é gigantesca, 80% das exportações dos EUA vão para o México. As chamadas "maquiladoras", que são as manufaturas que estão localizadas principalmente no norte do país, estão todas orientadas para os EUA. A empresa de petróleo PEMEX é totalmente controlada pelos monopólios norte-americanos.

 López Obrador não será um novo Cárdenas

Essa é uma situação que só poderia ser enfrentada com, no mínimo, a política dos anos 30 de Lázaro Cárdenas quando estatizou o petróleo no México. Outra medida de enfrentamento com o imperialismo sustentada por Cárdenas foi a aceitação de Leon Trotsky como exilado político, quando nenhum país do mundo ousou dar asilo para o revolucionário russo.

A situação do México agora é outra, muito diferente, e a situação mundial também. O aperto do imperialismo também é outro. Precisamos observar se López Obrador vai mobilizar as massas contra o imperialismo norte americano ou se vai tentar fazer acordos com Donald Trump para manter o NAFTA, Tratado de Livre Comércio do Atlântico Norte, e as maquiladoras. Se vai controlar os "exageros" nas entregas do setor do petróleo. Se vai tentar desacelerar a entrega do setor elétrico e da educação, que era o que o presidente anterior não conseguia fazer.

O mais provável é que López Obrador concentre tudo na luta contra a corrupção do PRI, do PAN e da polícia. Mas isso até certo ponto, pois o país está sob intervenção militar desde 2016 e com os cartéis de drogas tomando conta de tudo. A probabilidade que leve a cabo uma política real contra o imperialismo, contra o grande capital, contra a espoliação é remotíssima.

É preciso acompanhar de perto, em detalhes, essa política geral de manipulação eleitoral e verificar que essa questão no México não passa de uma pequena pausa para reagrupar forças dentro da linha geral de avanço golpista do imperialismo. Justamente num momento de embate comercial com a China, Japão e Europa e da própria crise interna na política norte-americana que se manifesta na questão da interferência russa nas eleições que deram vitória a Donald Trump sobre Hillary Clinton.

A crise também se manifesta no futebol

Outro aspecto da crise capitalista que já tínhamos dito, que o mais provável, justamente devido à grande crise mundial, era que na Copa do Mundo a França ou a Inglaterra fossem para a final, porque a manipulação política que há no futebol é enorme. Da mesma maneira que há uma manipulação enorme nas eleições. São coisas muito parecidas.

E a França, que é uma potência, uma das cinco principais do mundo, numa crise fenomenal de Emmanuel Macron precisava de uma vitória dessas para poder avançar em outros ataques. Então, apesar da Bélgica ter despontado como um grande time era quase impossível que ganhasse da França nessa situação de alta crise mundial. A mesma coisa poderia se dizer da Inglaterra em relação ao jogo contra a Croácia. Mas a vitória da Croácia até foi “conveniente”, na medida em que não se enfrentaram duas potências europeias na final. Assim a França vence a Copa do Mundo com uma goleada em cima de um país secundário, dos Balcãs.

Numa situação de alta crise política evidentemente que tudo vai ser politizado. Achar que não tem política no futebol é ridículo. Se não, como os jogadores de altíssimo nível, que são negociados por centenas de milhões de euros como Neymar, jogam na Europa como um europeu normal e quando chegam na Copa do Mundo, principalmente a partir de 1998, aparecem com uma pontaria pior que qualquer um? É óbvio que aí tem uma coisa super esquisita.

A crise na Europa

O papel da Europa é extremamente importante. No caso da Inglaterra, no início do mês, o ministro do BREXIT, David Davis, defensor de uma ruptura forte com a UE, deixa o já enfraquecido governo da primeira-ministra Theresa May depois da aprovação de um plano para manter relações estreitas com o bloco europeu.

Também, o ministro das Relações Exteriores, que é outro elemento da extrema direita, Boris Johnson, renunciou em protesto à estratégia do governo.  Essas defecções expõem a divisão do governo britânico, pois os eurocéticos estão revoltados com o que dizem ser uma traição de Theresa May ao não avançar no rompimento total com a União Europeia.

A Alemanha, nesse momento, não tem mais como principal parceiro os EUA, mas a China. Continua tendo grandes acordos com os EUA, mas cada vez mais passa a atuar muito próxima da China e da Rússia. Está aliada da China e da Rússia dentro dessa política de expansionismo mundial, principalmente chinês.

A Europa sofreu sanções do governo Trump para o aço e outros itens, o que aumenta as contradições do grande capital porque aqui se trata de como dividir o mercado mundial. Temos que estar atentos porque essa divisão sempre foi feita por meio de grandes guerras.

A Europa passou por cima das imposições do governo Trump que queria impedir que os países fizessem acordos nucleares com o Irã e quem desobedecesse seria sancionado e não poderia fazer negócios com os EUA. Os governos europeus passaram por cima das sanções americanas, através de subsídios e créditos para as empresas que fizeram negócios com o Irã.

Temos aqui uma grande crise do status quo que tinha sido acordado a partir da 2 ª Guerra Mundial, com as contradições imperialistas aumentando pela primeira vez nos últimos 70 anos. E some-se a isso o grande impulso da China, uma potência regional, para se converter numa potência imperialista.

EUA x China, o problema central do capital

O grande ponto da crise mundial é que as contradições entre os EUA e a China estão escalando e, a partir dessa contradição, escala a crise dentro dos EUA, o que também o obriga a se enfrentar com a Europa, Japão e Canadá.

A China a partir de 2008 começou a passar por uma crise muito grande relacionada à geração de empregos devido a que as exportações começaram a minguar. Ela tem duas políticas principais como eixo de atuação: o Novo Caminho da Seda, que são vias rápidas de transferência de produtos e circulação de mercadorias para a Europa por meio de trens, trem-bala, de navios, etc.; e a outra política muito importante que chama-se "Made in China 2025", que pretende refocar a produção chinesa em níveis muito mais especializados em termos de tecnologia.

Essa política entra em confronto direto com o grande capital que, para manter a espoliação financeira, precisa ter o controle tecnológico. O foco da China nesse momento é a tecnologia da informação e da informática, o que inclui as redes 5G para celulares, toda a parte de cyber security (cyber segurança) e a robótica. A China é o país do mundo onde a entrada de robôs está acontecendo com maior celeridade.

A política aeroespacial, a política de engenharia oceânica, os trens-bala que funcionam tão bem quanto no Japão, as novas energias inclusive para transporte individual, equipamentos de grande tração, maquinários para a agricultura, novos materiais principalmente os sintéticos como o bioplástico, biomedicina, etc., são setores que dependem da robótica.

China, de potência regional para potência imperialista

O governo chinês está adotando uma política mais forte para poder segurar a crise interna. Nesse sentido, criou 5 centros de renovação das indústrias nacionais e 48 centros provinciais. Para 2025 pretende passar dos 5 centros nacionais para 40. Em cima dessa direção pretende se estabelecer como líder em inteligência artificial até 2030.

A China busca, no período de 2020 a 2025, fazer que 70% da produção seja feita com componentes chineses e, portanto, para que toda essa política seja viabilizada precisa impulsionar grandes empresas chinesas no mundo. O que já está fazendo, por exemplo, com a Huang Oi e a ZTE, empresas que estão no centro dos ataques dos EUA.

Ela já está dominando países bastante distantes como a Grécia que está sendo controlada em grande medida pelo capital chinês como, por exemplo, a tomada total do porto de Pireus que fica ao lado de Atenas. Essa política acontece porque a China não tem escolha. É a contradição, a concorrência, a pressão que faz a burocracia burguesa chinesa avançar porque se não fizer isso corre o risco de chegar a grandes desestabilizações da própria sociedade chinesa.

No porto de Pireus há denúncias de que os trabalhadores tentaram estabelecer um sindicato para evitar os abusos chineses que são enormes, por exemplo, não têm uma jornada de trabalho fixa, podendo ser chamados a qualquer momento para o trabalho.

Os trabalhadores que se mobilizaram foram sumariamente demitidos pela administração chinesa, sem que o governo grego tivesse se manifestado. Ou seja, o governo chinês é uma burguesia também. Não é a mesma burguesia imperialista, mas é uma burguesia regional que tenta se posicionar como burguesia imperialista.

Isso tudo acontece devido ao alto grau de desagregação do imperialismo norte americano, que não fica menos agressivo por isso. Dentro dessa crise mundial é que devemos analisar as crises das diferentes nacionalidades. A situação nacional, aqui no Brasil, por exemplo, é impossível de ser caracterizada se não for nessa perspectiva mundial.

+ Política

Fora Bolsonaro e o Golpe Militar!

Fora Bolsonaro e o Golpe Militar!

A crise está instalada no futuro governo com a denúncia de corrupção contra a família...

O que está acontecendo na França?

O que está acontecendo na França?

Os protestos que têm acontecido na França nas últimas semanas representam um dos principais sintomas...

A classe operária entrará em movimento?

A classe operária entrará em movimento?

A situação de levante popular na França indica uma mudança na situação da luta de...

A crise do lulismo e a luta dos trabalhadores

A crise do lulismo e a luta dos trabalhadores

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, liberou esta semana o julgamento de...

O fim do Lulismo

O fim do Lulismo

  A condenação de Lula de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção...

Liberdade para Lula!  Fora Bolsonaro e o golpe militar!

Liberdade para Lula! Fora Bolsonaro e o golpe militar!

O depoimento de Lula no dia 14 de novembro, sobre o processo do sítio de...

Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

A vitória de Jair Bolsonaro no Brasil faz parte da guerra “silenciosa” (híbrida, assíncrona, ou...

Dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro/Paulo Guedes

Dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro/Paulo Guedes

  A chapa Bolsonaro/Paulo Guedes venceu as eleições presidenciais de 2018 porque o PT, apoiado...

Agora como farsa?

Agora como farsa?

Por Paulo Uribe A partir de golpe de Estado, em 31 de março de 1964,...

Golpe militar em andamento. O que fazer?

Golpe militar em andamento. O que fazer?

Os ataques contra os trabalhadores vêm de maneira acelerada com o governo Bolsonaro. Praticamente todos...

“Lei do Abate”, autonomia da polícia

“Lei do Abate”, autonomia da polícia

Quais as consequências para os trabalhadores e a população pobre e negra dos subúrbios? Por...

As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

O governo Bolsonaro já está, de fato, no comando do país. Nenhuma medida do governo...

A “esquerda” legalizou o golpe “bolsonarista”

A “esquerda” legalizou o golpe “bolsonarista”

  Desde o impeachment de Dilma, que foi um golpe parlamentar, a direita apertou o...

Como lutar contra o governo Bolsonaro?

Como lutar contra o governo Bolsonaro?

As eleições de outubro de 2018 representaram uma das maiores fraudes dos últimos tempos. A...

Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

No segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, venceu a fraude eleitoral do imperialismo norte-americano,...

Against the military coup in progress

Against the military coup in progress

BRAZIL No agreements with Bolsonaro   In the second round of presidential elections in Brazil,...

28 de outubro - Eleições de carta marcada - 00confirma

28 de outubro - Eleições de carta marcada - 00confirma

Nos últimos dias antes das eleições, ficou claro que além de ser um circo eleitoral,...

Bolsonaro, o Trump brasileiro

Bolsonaro, o Trump brasileiro

Encontro de Eduardo Bolsonaro com Steve Bannon Foto: Reprodução A vitória de Donald Trump em...

Muito mais que eleições, os trabalhadores precisam se organizar para lutar

Muito mais que eleições, os trabalhadores precisam se organizar para lutar

Por Antônio Fernando Analisando a conjuntura atual, vemos que a crise do sistema, que só...

O PT como oposição golpista consentida

O PT como oposição golpista consentida

É importante fazer a discussão do processo eleitoral compreendendo o contexto do golpe de Estado...

Bolsonaro não é fascista! Pode ser uma ameaça ainda maior!

Bolsonaro não é fascista! Pode ser uma ameaça ainda maior!

Por Sergio Lessa Há uma enorme confusão na avaliação do cenário político nacional, nestes dias...

Por que a vitória de Bolsonaro é praticamente certa?

Por que a vitória de Bolsonaro é praticamente certa?

O grande ponto que deve ser avaliado, em se tratando das eleições no Brasil, é...

A saga de um traidor. Doria e sua política (neo) liberal

A saga de um traidor. Doria e sua política (neo) liberal

Por Florisvaldo Lopes     No debate realizado pela TV Bandeirantes, o candidato do PSDB...

Segundo turno. Duas caras da mesma moeda

Segundo turno. Duas caras da mesma moeda

Por Florisvaldo Lopes Após uma grande polarização entre Haddad (PT), uma aposta do imperialismo europeu,...

Haddad faz gol contra

Haddad faz gol contra

A campanha do PT no segundo turno está bem diferente da campanha do primeiro turno....

Haddad é Lula?

Haddad é Lula?

Recentemente apareceu nas notícias que Fernando Haddad teria visitado o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal...

Haddad, semeando derrotas

Haddad, semeando derrotas

A recente campanha de Fernando Haddad tem se mostrado um desastre completo que está conduzindo...

Haddad joga para perder

Haddad joga para perder

A campanha de Fernando Haddad, como candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), no segundo turno...

Haddad joga para perder no 2º turno?

Haddad joga para perder no 2º turno?

    As eleições de 2018 acontecem como parte do processo golpista e servem para...

A delação de Palocci pode derrubar Haddad?

A delação de Palocci pode derrubar Haddad?

Recentemente foram liberadas pelo juiz Sergio Moro as delações do ex-ministro Antonio Palocci, há 6...

O STF e o Golpe

O STF e o Golpe

O golpe de Estado no Brasil progride com contradições, mas progride. Já temos falado várias...

Voto nulo nas eleições golpistas #00confirma

Voto nulo nas eleições golpistas #00confirma

Na semana passada foi realizada na grande mídia uma campanha de desconstrução da candidatura de...

Mudança imperialista aos 45 minutos do 1.º tempo do jogo político no Brasil.

Mudança imperialista aos 45 minutos do 1.º tempo do jogo político no Brasil.

Por Florisvaldo Lopes O imperialismo, principalmente o norte-americano, que deu o golpe na dita “democracia”...

Haddad “adotado” pelos Rothschild?

Haddad “adotado” pelos Rothschild?

É corrente nos meios de comunicação de massas a afirmação de que as eleições deste...

Rachaduras na candidatura Bolsonaro

Rachaduras na candidatura Bolsonaro

O evento mais importante da semana foi a matéria de capa da revista The Economist,...

O roteiro golpista no Brasil

O roteiro golpista no Brasil

O golpe de Estado deve ser visto como um processo que começa em 2005 na...

A candidatura Haddad e as eleições golpistas

A candidatura Haddad e as eleições golpistas

Esta semana tivemos a oportunidade de observar como a burguesia manipula o processo eleitoral especificamente...

América Latina rumo ao precipício

América Latina rumo ao precipício

A crise capitalista mundial tem forte influência no Brasil e na América Latina. O centro...

Bolsonaro e os militares

Bolsonaro e os militares

  Na atual conjuntura, é muito válida a célebre máxima do grande filósofo alemão Friedrich...

Haddad, Bolsonaro e o Golpe

Haddad, Bolsonaro e o Golpe

O “atentado” contra Jair Bolsonaro, candidato à presidência da República pelo Partido Social Liberal (PSL),...

Venezuela – qual o significado das novas medidas econômicas?

Venezuela – qual o significado das novas medidas econômicas?

  Entrou em vigor, no dia 20 de agosto, o pacote de medidas econômicas adotas...

Aos trabalhadores brasileiros

Aos trabalhadores brasileiros

Por Florisvaldo Lopes Caros camaradas, Nesse momento em nosso país enfrentamos uma das maiores crises...

Bolsonaro - mais que uma facada

Bolsonaro - mais que uma facada

O recente ataque a Bolsonaro durante caminhada em Juiz de Fora/MG, acabou representando todo um...

Como se posicionar nas eleições golpistas?  #00Confirma

Como se posicionar nas eleições golpistas? #00Confirma

O candidato tucano do PT, Fernando Haddad, pode até decolar, mas vai encontrar muitos ataques...

É ilusão pensar que é possível repetir o governo Lula

É ilusão pensar que é possível repetir o governo Lula

  A propaganda eleitoral do Partido dos Trabalhadores está calcada em cima da perseguição política...

Lula com 40% e o imperialismo ainda não definiu seu candidato

Lula com 40% e o imperialismo ainda não definiu seu candidato

  Lula é líder absoluto nas pesquisas de intenção de voto para presidente da república....

Haddad X Bolsonaro no 2º turno?   #00confirma

Haddad X Bolsonaro no 2º turno? #00confirma

  Esta semana, as pesquisas de intenção de voto à Presidência da República deram a...

O que revelam as pesquisas eleitorais - #00confirma

O que revelam as pesquisas eleitorais - #00confirma

A esquerda ligada à política eleitoreira e de conciliação de classes tem impulsionado uma série...

#00confirma

#00confirma

A ditadura do judiciário fica cada vez mais clara em todos os sentidos, apesar deste...

O imperialismo e os donos da padaria

O imperialismo e os donos da padaria

Para quem diz que Alckmin é o candidato natural do imperialismo tem de ver que...

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr19 capa

Números Anteriores


AcordaTI 01capa  


 Acorda Vargem Grande 0 capa


Acorda Educador 0 capa