Segunda, 20 Agosto 2018

profsp


A greve dos professores e servidores municipais de São Paulo, iniciada no dia 8 de Março, chega ao fim de mais uma semana de intensas lutas. Nesta sexta-feira 23 /03 cerca de 30 mil servidores puxados pelos professores fizeram ato em frente à  Câmara Municipal onde se juntaram com outros professores que acampam em frente ao prédio. Antes, na concentração na Praça Patriarca, eles decidiram manter a greve até que o prefeito playboy de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB) recue com a PL 621/16 batizada pelo próprio prefeito de SAMPAPREV.

Depois da repressão imposta pelo presidente da câmara de vereadores Milton Leite (DEM), no último dia 14/03  no plenário câmara , contra os manifestantes que ocupavam as ruas no entorno, repressão essa que deixou vários professores e servidores feridos, a greve só aumentou, ou seja, o vereador deu um tiro no pé.  

Essa última semana houve manifestação dos servidores todos os dias, ora na Paulista,  ora na frente da câmara. O centro da capital paulista é o lugar de luta dos professores os quais são a vanguarda da luta de classes no Brasil hoje.

Em São Paulo os professores municipais dão exemplo, ao contrário dos professores estaduais  controlados pela APEOESP/PT que não faz nada para melhorar as condições da categoria. O governo Alckmin deu um ajuste de apenas 7% porém  criou fórmulas que farão os professores perderem 5% do valor do seu salário. A APEOESP  nada fez para evitar essa manobra do golpista Alckmin,  nem mesmo pleiteou as perdas salariais passadas de vários anos sem reajuste.

A principal reivindicação dos servidores é a retirada definitiva da PL, pois o SAMPAPREV onerará cerca de  220 mil trabalhadores que já pagam 11% do seu salário para a previdência municipal e, se aprovado o projeto, pagarão 14% chegando até a 19% em alguns casos.  O sistema de previdência por capitalização é uma forma do município esmagar os valores das aposentadorias no futuro. Assim que ele transferir a responsabilidade previdenciária para os bancos ele diminuirá gradativamente as alíquotas de repasse previdenciários de 22% para menos até zerar.

Aos servidores só restará sobreviver com os valores previdenciários recolhidos ao fundo de previdência privada. Esse é e sempre foi o objetivo dos governos entreguistas e privatistas do PSDB, forçar os trabalhadores a pagarem previdência privada para, dessa forma, manter a taxa de lucro dos capitalistas em crise. Aqui vale a pena relembrar a nota escrita pelos professores e publicada em grupos de WhatsApp:

“Quero deixar claro aos DESINFORMADOS que a Prefeitura de São Paulo tem regime próprio de Previdência - IPREM - você que é contratado pela CLT NÃO paga a minha aposentadoria! Ninguém contribui para nossa aposentadoria, além de nós mesmos servidores municipais.

Mais uma informação importante: nós funcionários públicos não temos direito ao FGTS, como quem trabalha pelo regime da CLT. Quando nos aposentamos é com "uma mão na frente, outra atrás".

Também não temos regalias, como fazem questão de dizer os políticos sujos, o que pra eles é regalia, para nós é direito: vale refeição e alimentação, como muitos de vocês que trabalham no regime da CLT possuem.

Trabalhamos em média 10-14 horas por dia para ter um salário mais ou menos digno.

Não somos vagabundos, como disse tal vereador que nem vale a pena citar o nome. Apenas lutamos por nenhum direito a menos!

Os políticos corruptos do nosso país recebem fortunas exorbitantes e nós, reles mortais, somos quem paga a conta!”.

É preciso relembrar que esses políticos corruptos são eleitos pelo povo, principalmente pelos mais desprovidos, os quais são a maioria, com falsos discursos e promessas, porém ao assumir os cargos vão representar os interesses da minoria capitalista e da elite do país.

“O esteio mais firme da burguesia é a organização do Estado Em todos os países capitalistas, o Estado não passa de uma coligação de patrões, Ministros, altos funcionários, deputados, são sempre os mesmos capitalistas, proprietários, usineiros, banqueiros ou seus servidores fiéis, e bem pagos, que os servem, não por medo, mas cheios de zelo: advogados, diretores de bancos, generais e bispos.

A organização de todos esses burgueses, que abraça o país inteiro e o prende em suas garras, chama-se o Estado. Ela tem um duplo fim: o principal é reprimir as desordens e as revoltas dos operários, sugar mais à vontade a mais-valia da classe operária e assegurar a solidez do modo capitalista de produção; o outro fim é lutar contra outras organizações semelhantes (outros Estados burgueses) para a divisão da mais-valia extorquida. (No Brasil essa elite vira lata nem isso fazem, simplesmente entrega as riquezas extorquida do povo ao capitalismo, principalmente aos imperialistas Norte-americanos) Assim, o Estado capitalista é uma associação de patrões que garante a exploração São exclusivamente os interesses do capital que guiam a atividade desta associação de bandidos”. ( ABC do Comunismo,  Nikolai Bukharine)

 Hoje, no país onde o golpe avança a passos largos com o objetivo de cada vez mais retirar direitos dos trabalhadores, os partidos pequeno burgueses de esquerda integrados ao regime só pensam em eleições e em garantir seus cargos para manter sua vida parasitária. Esses partidos controlam os principais sindicatos e centrais sindicais como o PT, na CUT, na APEOSP e o PCdoB, na CTB, etc.

Essas burocracias estão deixando os golpistas fazerem o que querem com a classe trabalhadora, aprovaram a PLC 247, a PEC 55, que sucateará a saúde e a educação nos próximos 20 anos, aprovaram a terceirização em todos os ramos laborais, aprovaram a reforma trabalhista e vários outros ataques aos direitos sociais e trabalhistas. Essa esquerda amedrontada, devido a ter o rabo preso aos capitalistas deixou todos esses ataques passarem sem dar um tiro sequer.

Por isso, os professores e servidores de São Paulo, assim como os professores de Minas Gerais e de outros estados que estão em greve deixam exemplos para as outras categorias e um alerta à burocracia partidária e sindical: ou entram na luta ou serão ultrapassados pelo movimento de massa, que certamente entrará em movimento conforme o capitalismo ataca.

Todo apoio à greve dos professores e servidores municipais de São Paulo!
Todo apoio à greve dos professores estaduais de Minas Gerais!
Lutaremos até a vitória!
Fora prefeito playboy destruidor de São Paulo!
Nem uma ilusão nas eleições burguesas!

 

Passeata do Funcionalismo dia 21 de março de 2018, São Paulo, SP - Imagens de Whatsapp

Nacional

A Ditadura do Judiciário e a libertação de Lula

03 Agosto 2018
A Ditadura do Judiciário e a libertação de Lula

O golpe de Estado no Brasil, capitaneado pelo Poder Judiciário, avança de vento em popa. Com a aproximação do prazo final para inscrições de candidatos ao cargo de Presidente da...

Devorados pelo Judiciário

20 Julho 2018
Devorados pelo Judiciário

A ilusão da esquerda nas instituições do Estado burguês fica manifesta com a postura quase que religiosa de confiança na Justiça burguesa. Porém, esse crédito na isenção dos julgadores brasileiros...

Esquerda dá verniz democrático às eleições golpistas

19 Julho 2018
Esquerda dá verniz democrático às eleições golpistas

Qual é a relação entre o golpe de Estado em curso no país e as eleições marcadas para o mês de outubro? Temos que entender que esses dois eventos não...

O judiciário golpista e a liberdade de Lula

18 Julho 2018
O judiciário golpista e a liberdade de Lula

No domingo, dia 8 de julho, fomos surpreendidos com o ato de um desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que funciona como segunda instância da "República de...

Luta operária e sindical no Brasil - Parte II

13 Julho 2018
Luta operária e sindical no Brasil  - Parte II

Para entender qual deve ser a tendência da burocracia para o futuro dos sindicatos devemos analisar dialeticamente o sindicalismo no Brasil. A ditadura Vargas do Estado Novo nos anos 40...

Gazeta Revolucionária [pdf]

Saiba Mais

Massacre ao povo palestino (parte...

A Intifada palestina     Intifada significa revolta, ou literalmente...

Massacre ao povo palestino (parte...

A criação do Estado de Israel Não foi da noite...

Massacre ao povo palestino (parte...

Sionismo praticando a necropolítica em Gaza     A propósito,...

Massacre ao povo palestino (parte...

Nakba, 70 anos de assassinatos No dia 14 de maio...