Quarta, 21 Novembro 2018

Nacional

Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

17 Novembro 2018
Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

A vitória de Jair Bolsonaro no Brasil faz parte da guerra “silenciosa” (híbrida, assíncrona, ou “revolução colorida”) do imperialismo norte-americano contra o Brasil. Nas eleições presidenciais deste ano, aconteceu um...

Dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro/Paulo Guedes

16 Novembro 2018
Dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro/Paulo Guedes

  A chapa Bolsonaro/Paulo Guedes venceu as eleições presidenciais de 2018 porque o PT, apoiado pela “esquerda” e junto com os partidos de centro-direita, jogou para perder, entregando de bandeja...

“Lei do Abate”, autonomia da polícia

10 Novembro 2018
“Lei do Abate”, autonomia da polícia

Quais as consequências para os trabalhadores e a população pobre e negra dos subúrbios? Por Florisvaldo LopesO presidente eleito e seus aliados, principalmente seus filhos, como Eduardo Bolsonaro, já falam...

As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

09 Novembro 2018
As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

O governo Bolsonaro já está, de fato, no comando do país. Nenhuma medida do governo Temer e do atual Congresso Nacional se opõe às propostas do governo Bolsonaro. Pelo contrário,...

Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

31 Outubro 2018
Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

No segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, venceu a fraude eleitoral do imperialismo norte-americano, que tem como objetivo impor um modelo novo para a América Latina. Este modelo seria...

inter.fw

golpe estado.fw

Friedrich Engels: um grande mestre da classe operária

Friedrich Engels: um grande mestre...

(20/07/2017) Grande teórico revolucionário e companheiro de Karl Marx, com quem elaborou o socialismo científico, Engels foi um dos maiores pensadores e mestre da classe...

O petróleo tem que ser nosso!

O petróleo tem que ser...

  Um programa democrático e anti-imperialista para o petróleo brasileiro passa pela estatização sob o controle dos trabalhadores, com o objetivo de atender as necessidades...

Militares brasileiros, nacionalistas ou golpistas?

A vitória de Jair Bolsonaro no Brasil faz parte da guerra “silenciosa” (híbrida, assíncrona, ou “revolução colorida”) do imperialismo norte-americano contra o Brasil. Nas eleições presidenciais deste ano, aconteceu um golpe

As centrais sindicais devem chamar uma Plenária Nacional de Mobilização

O governo Bolsonaro já está, de fato, no comando do país. Nenhuma medida do governo Temer e do atual Congresso Nacional se opõe às propostas do governo Bolsonaro. Pelo contrário,

Como lutar contra o governo Bolsonaro?

As eleições de outubro de 2018 representaram uma das maiores fraudes dos últimos tempos. A esquerda e o centro do regime político legalizaram o golpe. Foi imposto o “bolsonarismo” como

Contra o golpe militar em andamento! Nenhum acordo com Bolsonaro!

No segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, venceu a fraude eleitoral do imperialismo norte-americano, que tem como objetivo impor um modelo novo para a América Latina. Este modelo seria
O “bolsonarismo” e o golpe sobre os Correios

O “bolsonarismo” e o golpe sobre os Correios

Por Antônio Fernando Para organizar as oposições classistas contra os ataques que virão, os trabalhadores precisam retomar as reuniões setoriais e responder aos questionamentos daqueles que, por uma ineficiência de...

A Atualidade de Trotsky

A Atualidade de Trotsky

Por Florisvaldo Lopes O que estamos presenciando neste momento no Brasil é praticamente o que Leon Trotsky alertava aos trabalhadores da Índia, em 1939, no texto "Carta Aberta aos Trabalhadores...

Fique por dentro

O “neoliberalismo” para o grande capital

(20/07/2017) A aplicação das “políticas neoliberais” tem...

Mais Informações

Massacre ao povo palestino (parte 4)

Massacre ao povo palestino (parte 4)

A Intifada palestina     Intifada significa revolta, ou literalmente...

Massacre ao povo palestino (parte 3)

Massacre ao povo palestino (parte 3)

A criação do Estado de Israel Não foi da noite...

Massacre ao povo palestino (parte 2)

Massacre ao povo palestino (parte 2)

Sionismo praticando a necropolítica em Gaza     A propósito,...

Massacre ao povo palestino (parte 1)

Massacre ao povo palestino (parte 1)

Nakba, 70 anos de assassinatos No dia 14 de maio...

A economia vai de mal a pior

A economia vai de mal a pior

  A inflação no Brasil teria caído para 3%, segundo...

A mais-valia ameaçada

A mais-valia ameaçada

Com o aprofundamento da crise mundial, a margem de manobra...

Essencial

Estado, Regime e Governo - Parte IV – O Regime Político

Estado, Regime e Governo - Parte IV – O Regime Político

O “neoliberalismo”: tábua de salvação da crise de 2008

O “neoliberalismo”: tábua de salvação da crise de 2008

Friedrich Engels: um grande mestre da classe operária

Friedrich Engels: um grande mestre da classe operária

Por CoReP e João Neto

cataluDesde junho passado, o presidente da Generalitat de Catalunha Puigdemont, o governo da província (coalizão burguesa JxSi formada por CDC, ERC, etc.) e a maioria do Parlamento da Catalunha (JxSi mais os nacionalistas, pequenos burgueses da CUP) prepararam um referendo. Nas últimas eleições regionais, em 27 de setembro de 2016, as duas coalizões nacionalistas catalãs obtiveram maioria absoluta no Parlamento (72 deputados de 135), mas permaneceu minoritária em votos (47,8% dos votos expressos).

A pergunta aos eleitores em 1º  de outubro seria: "¿Voleu que Catalunya seguindo um estado independente sob a forma de uma república? "(" Você quer que a Catalunha seja um estado independente na forma de uma república? ").

Residentes de nacionalidade não espanhola estão excluídos da votação pelo governo nacionalista catalão.

O presidente do governo espanhol Mariano Rajoy e o governo PP (uma festa burguesia fundada pelos herdeiros do regime franquista) proíbem o direito de consultar a população. O Tribunal Constitucional, uma instituição burguesa cujos membros são nomeados pelo monarca nomeado por Franco, proibiu a celebração do referendo. Desta forma, o Estado espanhol mobilizou seu colossal aparelho repressivo para evitar o referendo: prisão de 14 membros do governo JxSí, material eleitoral, ataques policiais (protegidos pelos musgos da polícia catalã) na sede da CUP ...

Em 11 de setembro, um milhão de pessoas se pronunciaram contra essas medidas reivindicações reacionárias alegando o direito de decidir sobre seu destino.

Para o bem dos trabalhadores e das trabalhadoras, nem a Catalunha nem nenhum outro território deve ser mantido por força no Estado espanhol. É escandaloso que o PSOE, o partido principal da classe trabalhadora,  fique do lado da monarquia franquista e o governo PP.

De onde vem um Estado espanhol, que reprime grevistas, imigrantes, combatentes nacionalistas bascos e, com muito menos violência, aos líderes oficiais Catalães? Do regime franquista! O estado burguês foi salvo da crise revolucionária, que durou de 1974 a 1978 pelos partidos políticos patriotas (PCE Stalinistas, socialdemocratas do PSOE), a burocracia sindical (CCOO, UGT) e os partidos nacionalistas burgueses (PNV no País Basco, CiU na Catalunha ...). Na ausência de um partido revolucionário dos trabalhadores do tipo Bolchevique, a  colaboração entre classes salvou o capitalismo, restabeleceu a monarquia de acordo com os desejos de Franco, e manteve as últimas colônias e nações oprimidas no seio do Estado espanhol.

A burguesia catalã busca manter os lucros

Sob a ameaça da revolução proletária que surgiu em Portugal e chegou à Espanha em 1974, a burguesia espanhola, com o apoio da União Europeia em que se tornou parte, concedeu liberdades democráticas e uma grande autonomia a 17 regiões autónomas. O catalão (também falado maciçamente em Valência e algo na França) tornou-se a língua oficial da Catalunha, a região mais avançada e rica do capitalismo espanhol. A burguesia catalã apressou-se, como a basca, para criar sua própria polícia, os Mossos d'Esquadra (21 000 policiais).

Mas isso não é suficiente para uma fração significativa da burguesia e sua representação política que, como no caso da Escócia, de Flandres, do Veneto e da Lombardia, emancipar-se da tutela do antigo Estado nacional, para tentar a sorte com a União Europeia e para neutralizar a luta de classes de seus explorados pelo veneno do chauvinismo (a chamada unidade dos exploradores e explorados de uma "nação" contra as outras "nações").

As organizações centristas (AC-SUCI, LI-UIT ...) que oscilam entre Podemos-Podem e o CUP apoia a separação promovida pelo nacionalismo burguês. Mas, apesar da autonomia, exploração, precariedade, desemprego, pobreza, racismo, a super-exploração e a violência contra as mulheres continuam a atrapalhar a Catalunha e o resto da Espanha e Portugal. A independência não mudaria nada. Os mais oprimidos hoje em dia na Espanha por suas características étnicas, sua dificuldade em dominar o castelhano ou o catalão, ou a sua religião, não são os catalães, nem os bascos, mas os trabalhadores imigrantes.

Por essa razão, a independência não mudaria nada. O problema principal se encontra em que a burguesia catalã tem visto os lucros diminuírem por causa da crise capitalista e o aperto do imperialismo espanhol.

Pelos Estados Unidos Socialistas da Europa

Existem muitas fronteiras na Europa e no mundo. Um pequeno estado não escaparia da guarda de Madri, senão para afundar em uma relação de dependência com Paris, Berlim, Washington ...

O interesse da classe trabalhadora é o quadro econômico e político mais amplo e democrático possível. A acusação que a vanguarda comunista e internacionalista lança a uma "União Europeia" desunida e burguesa é a sua incapacidade de suprimir fronteiras arcaicas e a ignóbil opressão do povo grego decidida de comum acordo pelo governos imperialistas alemães e franceses. Para a unidade da nossa classe, a vanguarda defende o direito daqueles que se sentem catalães na Espanha (e na França) para decidir sobre o seu futuro. Todas as organizações de trabalhadores em Espanha, festas (PSOE, Podemos, IU ...) e sindicatos (CCOO, UGT ...) devem decidir sobre esta questão e se juntarem contra Mariano Rajoy e Felipe de Borbón.

Mas a vanguarda aconselha aos explorados para não se separar de seus irmãos e irmãs do resto da Espanha e realizar a luta contra todos os capitalistas junto com eles. Recomenda os Estados Unidos Socialistas da Europa e à Federação Socialista do Mediterrâneo.

  • Libertação de todos os militantes catalães e bascos presos na França e na Espanha!
  • Respeito pelo Referendo Catalão pelo Estado espanhol! Direito para o população catalã e o povo basco se separarem do Estado espanhol e do Estado francês!
  • Os mesmos direitos para os trabalhadores e trabalhadoras imigrantes! Restituição ao Marrocos dos enclaves do Estado espanhol! Dissolução do exército profissional e de toda a polícia burguesa, incluindo os Mossos! Armas para o povo! República! Governo dos trabalhadores! Federação socialista-ibérica! Estados Unidos socialistas da Europa!

Receba nossas matérias

captcha 
Uma equipe de trabalho séria a serviço de uma imprensa revolucionária. Colabore enviando denúncias do seu local de trabalho, do seu bairro e da sua cidade.

Educação

Educadores de Minas Gerais precisam de uma plano de luta

26 Junho 2018
Educadores de Minas Gerais precisam de uma plano de luta

No dia 8 de março de 2018, numa assembleia lotada na Praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, os educadores votaram pela deflagração de uma greve estadual...

Parcelamento de salário de professor virou negócio da China

17 Junho 2018
Parcelamento de salário de professor virou negócio da China

  No dia 13 de junho de 2018, o funcionalismo público estadual, incluindo os trabalhadores em Educação de Minas Gerais, aguardava o seu salário, que já seria pago atrasado, após...

Educação Infantil não é segunda classe

11 Junho 2018
Educação Infantil não é segunda classe

  A Educação Infantil de Belo Horizonte está em greve desde o dia 23 de março em busca de melhores salários e condições de trabalho. Na penúltima assembleia, foi anunciado...

O tronco está no centro, tragam o chicote!

11 Junho 2018
O tronco está no centro, tragam o chicote!

 Depois da longa greve dos trabalhadores da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais, que durou mais de 40 dias, vimos a greve terminar com sabor de derrota e com...

Fatiamento na luta da educação em Belo horizonte

09 Maio 2018
Fatiamento na luta da educação em Belo horizonte

  A Educação Infantil está em greve desde o dia 23 de abril em busca de melhores salários e condições de trabalho. Na última assembleia foi rejeitada a proposta do...

Gazeta Revolucionária [pdf]

 gr16 capa

 gr15capa